_newsletter_contactos_
 
 
InícioInformaçõesSobre o MuseuExposiçõesVisita VirtualPresidentesEducaçãoFormaçãoArquivo DigitalAgendaImprensaMPR Júnior
Facebook
Google+
Twitter
YouTube
Flickr
 I RepúblicaEstado NovoDemocraciaBarra Cronológica
Presidentes - Primeira República
Aumentar Aumentar Aumentar Aumentar
 1 2 3 4 5 »

Bernardino Machado



Dados pessoais

Bernardino Luís Machado Guimarães nasce no Rio de Janeiro a 28 de Março de 1851. É filho de António Luís Machado Guimarães e da sua segunda mulher, Praxedes de Sousa Ribeiro Guimarães. A 19 de Janeiro de 1882 casa com Elzira Dantas, de quem terá 19 filhos. Em 1944 é internado numa casa de saúde do Porto, onde morre com 83 anos vítima de pneumonia aguda. Vai a enterrar no Cemitério de Moço Morto, no túmulo dos Barões de Joane, em Vila Nova de Famalicão.

Percurso  profissional

Concluída a licenciatura em Filosofia no ano anterior, apresenta em 1876 a tese de doutoramento Dedução das Leis Pequenos Movimentos Periódicos da Força Elástica. Nomeado professor catedrático da Universidade de Coimbra, exerce este cargo só até 1907, ano da sua demissão em protesto à ditadura de João Franco, mas sempre ligado às cadeiras de Geologia, Física, Antropologia e de Agricultura. Director do Instituto Industrial e Comercial de Lisboa e vogal Conselho Superior de Instrução Pública, desenvolve inúmeros estudos pedagógicos, publicando diversas obras nesta área.

Percurso  político

Em 1903, no Ateneu Comercial de Lisboa, adere formalmente ao Partido Republicano Português e após a implantação da República, integra o Governo Provisório presidido por Teófilo Braga. Aliado de Afonso Costa, candidata-se à primeira eleição à presidência da República, perdendo para Manuel de Arriaga. Nomeado em 1912 ministro de Portugal no Rio de Janeiro, vai caber-lhe depois a difícil tarefa de definir a intervenção de Portugal na I Guerra Mundial, atitude que lhe valeu severas críticas.

Mandato presidencial

Bernardino Machado ocupa por duas vezes a presidência da República, embora não cumpra até ao fim nenhum dos mandatos devido aos movimentos militares liderados por Sidónio Pais e por Mendes Cabeçadas com Gomes da Costa. Após abandonar a presidência, aguarda o rumo dos acontecimentos e rapidamente retoma o combate. Quando a Alemanha invade a França, convicto do envolvimento de Portugal na I Guerra Mundial, abandona o exílio e regressa ao país. O Governo, como punição ou por receio, fixa-lhe residência a norte do Douro, primeiro em Paredes de Coura e depois nos arredores do Porto.




Galeria retratos

Primeira dama

Presidência da República_links_site acessível[D] site acessível_ comentários_e-cards_mapa do site_informação legal
Museu da Presidência da República     Desenvolvido por Vector21.com    _ficha técnica